top of page

Os Seis Mantras da Fala Amorosa

Os Seis Mantras - são algo que todos podem praticar em casa. As crianças também podem fazê-lo. Se quiser que o mantra funcione, inspire plenamente e sinta-se revigorado antes de pronunciá-lo.

Quando temos a impressão de que estamos completamente sós e ninguém nos apoia, podemos lembrar que essa é apenas uma percepção.


Os seis mantras são seis frases que personificam a fala amorosa e permitem que as pessoas saibam que você as vê, as compreende e se importa com elas.


No budismo nós chamamos essas frases de “mantras”. Eles são uma espécie de fórmula mágica. Ao pronunciá-los, você pode produzir um milagre, pois a felicidade fica imediatamente à nossa disposição.


Se quiser que o mantra funcione, inspire plenamente e sinta-se revigorado antes de pronunciá-lo.


Olhe dentro dos olhos da outra pessoa e pronuncie essas frases curtas.


Um mantra pode conter apenas quatro palavras, mas nessas palavras você é capaz de estar inteiramente presente para a pessoa que você ama.


  • O primeiro mantra é: “Eu estou aqui para você”.

Este é o melhor presente que você pode dar para o ser amado. Nada é mais precioso do que a sua presença.

Não importa quão caras sejam as coisas que você compra para a outra pessoa, elas não são tão preciosas quanto a sua verdadeira presença. Essa maravilhosa presença é vigorosa, sólida, livre e calma e é ofertada às pessoas que você ama, assim aumentando tanto a sua felicidade quanto a dos outros. “Eu estou aqui para você.”

Amar alguém significa estar ali para ele ou para ela. Estar presente é uma arte e uma prática. Você está verdadeiramente presente para a pessoa que você ama, cem por cento?


Também podemos usar esse mantra conosco. Quando digo para mim, “Estou aqui para você”, isso também significa que estou aqui para mim. Minha mente vai para casa, para o meu corpo, e eu me torno consciente de que tenho um corpo. Essa é uma prática de amor, dirigida para si. Se você é capaz de estar consigo mesmo, você é capaz de estar com a pessoa que ama.


  • Segundo mantra é: “Eu sei que você está aqui e estou muito feliz”.

Não use o segundo mantra até ter praticado o primeiro e produzido sua presença. Nesse momento, quando estiver verdadeiramente presente no aqui e agora, você poderá reconhecer a presença da outra pessoa.

O segundo mantra é uma confirmação de que você realmente vê o outro. Isso é crucial, pois quando uma pessoa o ignora, você não se sente amado. Você pode sentir que as pessoas que você ama estão ocupadas demais para vê-lo. A pessoa amada pode estar dirigindo o carro e pensando em tudo menos em você, que está sentado no assento ao lado. Você não tem a atenção daquela pessoa. Amar significa estar ciente da presença da pessoa amada e reconhecer aquela presença como algo muito precioso.

Esse mantra, assim como o primeiro, pode ser compartilhado a qualquer momento – antes do trabalho, à mesa do jantar, ao telefone ou por e-mail se quiser compartilhá-lo com alguém que você não tem a oportunidade de encontrar. Esses mantras parecem um pouco impraticáveis à primeira vista, mas à medida que se acostumar a eles e quando vir os resultados, eles se tornarão mais fáceis. Você pode ser feliz e fazer a outra pessoa feliz neste mesmo instante. É mais rápido do que café solúvel! Mas lembre-se de uma coisa: um mantra só pode ser praticado com êxito se você souber como tornar-se presente e pronunciá-lo com sua plena atenção.


  • O terceiro mantra é: “Eu sei que você está sofrendo, e é por isso que estou aqui para você”.

Enquanto os dois primeiros mantras podem ser ditos várias vezes ao dia, não importa qual seja a situação, o terceiro mantra é usado quando você percebe que a outra pessoa está sofrendo. O terceiro mantra pode ajudar de imediato a outra pessoa a sofrer menos.

Graças à sua plena atenção, você sabe que algo não está indo bem com seu amigo ou ser amado.

Quando seu amado está sofrendo, seu impulso pode ser o de querer fazer algo para consertar isso, mas você não precisa fazer muita coisa. Você só precisa estar presente para ele. Isso é amor verdadeiro. Amor verdadeiro é feito de plena atenção. Devido à sua plena atenção, você sabe quando algo não vai bem com a pessoa amada. Quando percebe isso, você quer fazer algo para ajudá-la a sofrer menos. Você não precisa fazer nada a não ser estar presente. Ao pronunciar o mantra, imediatamente sua pessoa amada vai sofrer menos.

Quando você está sofrendo e seus seres amados ignoram seu sofrimento, você passa a sofrer ainda mais. Porém, se a outra pessoa está ciente do seu sofrimento e oferece sua presença durante esses momentos difíceis, você imediatamente passa a sofrer menos.

O alívio não demora a chegar. Então, por favor, use esse mantra no seu relacionamento para ajudar a outra pessoa a sofrer menos.


  • O quarto mantra é : “Eu estou sofrendo, por favor, ajude-me” - é um pouco mais difícil, especialmente para aqueles dentre vocês que têm muito orgulho.

Usamos o quarto mantra quando estamos sofrendo e acreditamos que a outra pessoa causou o sofrimento. Isso acontece de tempos em tempos. Se você não se importasse tanto com aquela pessoa que fez ou disse aquilo que o magoou, você teria sofrido menos.

Mas quando alguém que você ama diz algo que soa como crítica ou rejeição, você sofre profundamente. Se sofremos sem olhar profundamente para dentro do nosso sofrimento, sem achar compaixão para conosco e para com a outra pessoa, podemos querer punir a pessoa que nos feriu porque ela ousou nos fazer sofrer.

Quando sofremos, achamos que a é culpada por não gostar o suficiente de nós ou por não nos amar o suficiente. Muitos de nós têm uma tendência natural em querer punir a outra pessoa. Uma das maneiras na qual pensamos para querer punir a outra pessoa é mostrando que podemos sobreviver sem ela. Muitos dentre nós cometeram esse erro. Eu também já cometi esse erro. Mas nós aprendemos. Queremos mostrar à outra pessoa que sem ela podemos sobreviver muito bem. Essa é uma maneira indireta de dizer “Eu não preciso de você”. Contudo, isso não é verdade. Por certo, quando sofremos, precisamos dos outros.


Quando sofremos, deveríamos dizer aos outros que estamos sofrendo e que precisamos da sua ajuda. Normalmente fazemos o oposto. Nós não queremos pedir ajuda. É por essa razão que precisamos do quarto mantra: “Eu estou sofrendo, por favor, ajude-me”.


  • O quinto mantra é: “Este é um momento feliz”. Quando você estiver com alguém de quem gosta, você pode usar esse mantra. Isso não é autossugestão ou pensamento positivo, pois as condições para a felicidade estão presentes.

Se não tivermos a mente alerta, não iremos reconhecê-las. Esse mantra serve para nos lembrar que temos muita sorte, que há muitas condições para a felicidade que estão disponíveis no aqui e agora.

Podemos respirar facilmente. Temos um ao outro. Temos o céu azul e a solidez da terra inteira nos sustentando. Ao sentar com a outra pessoa ou ao caminhar juntos, talvez você queira pronunciar o quinto mantra e perceber como tem sorte. Ser capaz de reconhecer que esse momento é um momento feliz, depende da sua plena atenção.


  • O sexto mantra é: “Você está parcialmente certo”. Você usa o sexto mantra quando alguém o elogia ou critica. Você pode usá-lo igualmente bem em ambos os casos. O sexto mantra é: “Você está parcialmente certo”.

O sexto mantra é a verdade.

Você não está mentindo e não está caindo na falsa humildade.

Basta dizê-lo, em voz alta ou silenciosamente para si. Dentro de você existem várias qualidades maravilhosas e várias fraquezas; você aceita ambas. Mas essa aceitação não o impede de desenvolver suas qualidades positivas e dedicar-se a corrigir seus pontos fracos.

Podemos usar o mesmo método quando olhamos para outras pessoas.

Podemos aceitar os outros como aceitamos a nós mesmos. Sabemos que o que eles estão expressando é apenas parte de si. Antes de julgar e gritar com alguém, ao invés de dizer que ele ou ela não tem valor, devemos olhar mais profundamente. Eu conheço pessoas que são muito sensíveis. Mesmo um leve julgamento faz com que elas chorem e fiquem infelizes. Talvez você também conheça pessoas assim.

Quando nos aceitamos com todas as nossas fraquezas, ficamos em paz.

Nós não nos julgamos; nós aceitamos.

Eu tenho essas qualidades e essas fraquezas, mas eu tentarei melhorar vagarosamente, no meu ritmo.


(Hanh, Thich Nhat. A arte de se comunicar (p. 58). Editora Vozes. Edição do Kindle.)



454 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page